Follow by Email

domingo, 25 de maio de 2014

Sugestao de atividades sobre a Salve Rainha para a catequese

Algumas atividades que poderao ajudar catequistas e evangelizadores de crianças a trabalharem esta oraçao com os catequizandos...

Jardim da Boa Nova

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Salve Rainha explicada

Salve, rainha, mãe de misericórdia, vida, doçura, esperança nossa! Salve!

Na oração encontramos a palavra “salve”, que expressa uma saudação a Maria, seguida pela palavra “rainha”. Esta palavra não quer dizer que Nossa Senhora é uma autoridade, alguém que está em posição elevada, mais distante, como as rainhas da terra. Maria é vida, é doçura, é esperança. Maria é aquela mãe a quem podemos procurar em todos os momentos de nossa vida, que sempre nos socorrerá com amor, com misericórdia.
 
A vós bradamos, os degredados filhos de Eva

Com essa frase você pede que Maria o auxilie. “Bradar” quer dizer pedir socorro, suplicar; e “degredados” são aqueles que não têm liberdade, que vivem afastados de sua gente, de seu país, que são oprimidos.Maria, a mãe que a Trindade nos entregou. Maria que disse “sim” a Deus.Eva, como você já deve saber, foi a mulher de Adão. Os dois formaram o primeiro casal humano criado por Deus. Como Eva deu origem a toda a humanidade, nós também, indiretamente, somos filhos dela.

A vós suspiramos, gemendo e chorando, neste vale de lágrimas.

Continuando sua prece a Maria, você diz que deseja muito o seu auxílio (suspiramos por ele). Como na Terra não estamos tão bem quanto estaríamos se estivéssemos definitivamente junto a Deus, falamos palavras tristes como “gemer”, “chorar” e “vale de lágrimas”. São as dificuldades, as dores, as tentações, que muitas vezes temos de enfrentar em nossa vida.

Eia, pois, advogada nossa,

“Eia” é uma palavra que serve para animar, para estimular, assim como quando dizemos “vamos em frente”. Maria sempre pode nos ajudar, então ela é para nós uma advogada, que nos defenderá e nos recomendará a Deus.

Esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei!

Você pede, com esta frase, que Maria volte para você seus olhos cheios de piedade, graça e perdão. “Voltar (ou volver) os olhos” significa ajudar, auxiliar. Ela nos guarda e protege.

E depois deste desterro,

“Desterro” quer dizer solidão, lugar longe da pátria, isolamento. Isso significa que, aqui na Terra, ainda não conseguimos construir nossa verdadeira pátria. Assim, “depois deste desterro” é depois de vivermos aqui de forma a merecer a vida eterna; isto é, após nossa passagem da Terra para o Céu.

mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre,

Nesta frase continua nosso pedido a Nossa Senhora: que ela nos mostre e nos mantenha firmes e corajosos, seguindo sempre os ensinamentos de seu filho, Jesus.

Ó clemente, ó piedosa, ó doce, sempre Virgem Maria!

Você, ao dizer estas palavras, está se referindo às qualidades de Maria, piedosa, doce, clemente, isto é, que tem piedade, doçura e bondade.

Rogai por nós, santa mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém.
 
É a oração da salve-rainha com um último pedido a Maria: que ela nos recomende ao seu Filho, Jesus. Só assim poderemos receber o que Deus nos prometeu: um lugar no seu Reino.“Amém”, palavra que aparece no final de todas as orações, significa “assim seja.
 
A Salve Rainha  é uma oração de súplica à Nossa Senhora e usa muitas expressões figurativas, manifestando a dor, a solidão das pessoas que muitas vezes estão sofrendo. A princípio, parece um tanto difícil, porque algumas de suas expressões não são empregadas com freqüência na nossa linguagem comum. A oração da salve-rainha é muito antiga. A frase que diz "ó clemente, ó piedosa, ó doce, sempre Virgem Maria!" foi escrita por são Bernardo, no século XII..

A origem da Salve Rainha

A nossa Igreja possui belas oraçoes, que ao longo da história da Igreja, fazem parte da devoçao dos católicos. Mas quantas delas recitamos de forma mecanica sem parar para prestar atençao nas palavras em que falamos ou até mesmo nao sabemos a sua origem.
 
Neste mes de maio vamos publicar a origem de uma belA oração de nossa Igreja: a Salve Rainha. 
 
Salve Rainha

Salve, Rainha, mãe de misericórdia,
vida, doçura, esperança nossa, salve.
A vós bradamos os degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos, gemendo e chorando
neste vale de lágrimas.

Eia, pois, advogada nossa,
esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei,
e depois deste desterro mostrai-nos Jesus,
bendito fruto do vosso ventre,
Ó clemente, ó piedosa,
ó doce sempre Virgem Maria

V.: Rogai por nós Santa Mãe de Deus
R.: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
 
Salve Rainha: Origem e História

A autoria da oração é atribuída ao monge Hermano Contracto que a teria escrito por volta de 1050, no mosteiro de Reichenan, na Alemanha. Naquela época a Europa central passava por calamidades naturais, epidemias, miséria, fome e a ameaça contínua dos povos nomades do Leste que invadissem os povoados, saqueando-os e matando.
Frei Contracto nascera raquítico e disforme, na idade adulta, andava e escrevia com dificuldade. Foi nesta situação que Frei Contracto cria esta prece, mesclando sofrimento e esperança, que é a "Salve Rainha".
Segunda da crença, quando nasceu Frei Contracto e constatarem o raquitismo e má formação do bebê, sua mãe Miltreed, consagrou-o no leito à Maria, sendo educado na devoção a ela. E, anos mais tarde, foi levado de liteira, por ser deficiente físico, até o mosteiro de Reichenan, onde com o tempo chegou a ser mestre dos noviços.
Quando veio a ser conhecida pelos fiéis, a "Salve Rainha" teve um sucesso enorme, e logo era rezada e cantada em muitos locais. Um século mais tarde, ela foi cantada também na catedral de Espira, por ocasião de um encontro de personalidades importantes, entre elas, a do imperador Conrado III e São Bernardo, conhecido como o "cantor da Virgem Maria", ele que foi um dos primeiros a chamá-la de "Nossa Senhora". Dizem que foi nesse dia e lugar que, ao concluir o canto da "Salve Rainha", cujas últimas palavras eram "mostrai-nos Jesus, o bendito fruto do vosso ventre", no silêncio que se seguiu, São Bernardo que gritou sozinho no meio da catedral: "Ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria"... E a partir dessa data estas palavras foram incorporadas à "Salve Rainha" original.
Atualmente uma multidão incontável de fiéis tem se identificado como os sentimentos que ela expressa, vivendo desde sua aflição à esperança e fé em Maria.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Tempo da pascoa- Oitava Pascal


A oitava pascal é formada pelos oito primeiros dias do tempo pascal. Poderíamos também chama-la de " pequena oitava" em confronto com a " grande oitava" que formam as setes semanas do tempo pascal.

Nestes dias celebramos esse grande acontecimento , a Ressurreição de Jesus, como se fosse um único dia, com o objetivo de viver melhor o ponto central de nossa fé. A oitava pascal, remontam, no mínimo  do inicio do  século IV. Antigamente esta semana era chamada de semana branca ou semana das vestes brancas , pois a liturgia desta semana não era só marcada pela celebração do mistério pascal, como também pela consideração para com os neobatizados que durante as celebrações diárias da eucaristia eram introduzidos mais profundamente nos mistérios dos sacramentos de iniciação recebidos na Vigília Pascal.
A oitava pascal vai do domingo de Pascoa ate o domingo seguinte ,chamado antes de  " "domingo in albis" . A partir de 2000, mais precisamente em 23 de maio de 2000, por decreto da congregação do culto divino e da disciplina dos sacramentos , o segundo domingo da Pascoa passou a se chamar Domingo da Misericórdia, dadas as revelações de Jesus a Santa Faustina.

domingo, 20 de abril de 2014

Mais atividades sobre a semana santa

Estas atividades sobre a Semana santa encontrei no blog Jardim da Boa Nova... muito lindinhas!












Domingo de Pascoa

A Palavra pascoa vem do hebreu Peseach e significa passagem. A pascoa era vivamente comemorada pelos judeus do antigo Testamento.


Condenados a morte na cruz e sepultado, Jesus ressuscitou três dias após, num domingo, logo após a pascoa judaica. A Ressurreição de Jesus é o ponto central e mais importante da fé crista. Através de sua ressurreição Jesus prova que a morte não  é o fim e que Ele  é verdadeiramente o Filho de Deus. O temor de Jesus em relação a morte de Jesus na sexta-feira santa transforma-se em esperança e jubilo. Os discípulos outrora com medo adquirem forças para continuar anunciando a mensagem do Senhor. São celebradas missas festivas durante todo o domingo e em alguns lugares realizam procissões de Cristo ressuscitado.
A celebração deste dia  é considerada uma festividade verdadeira e própria, plena de alegria e esperança. As leituras são sempre as mesmas em todos os ciclos anuais. A sequencia pascal marca a alegria e a esperança da comunidade de Jesus - Jesus Cristo  é o vencedor da morte, Ele rompe as barreiras do tempo e do espaço.
A celebração da Pascoa nos convida a uma constante mudança de vida, a uma profunda conversão. Pascoa  é ser capaz de mudar de vida , de partilhar vida na esperança, de lutar para vencer o pecado, de acreditar na vida para vencer a morte.
A Pascoa  é um convite a nossa ressurreição. Ela nos convida a renovação de nossos compromissos com Deus e com os irmãos.
Pascoa não se resume em lembrar da morte de Jesus e de sua morte na cruz, mas principalmente celebrar a vitória de Cristo pela ressurreição.

sábado, 19 de abril de 2014

A liturgia da semana santa: Vigilia Pascal

A centralidade do Tríduo Pascal esta na Vigília. Esta vigília é realizada na noite do sábado santo em memoria da noite santa da ressurreição gloriosa de nosso Senhor Jesus Cristo. Chamada a " mãe de todas as vigílias"  porque a Igreja mantem-se em vigília a espera da vitória de Jesus sobre a morte.






Cinco elementos compõe a liturgia da Vigília Pascal:


1- A benção do fogo novo e do círio pascal também chamado de liturgia das luzes. O lume novo e o círio pascal representam Cristo que é a luz do mundo, a luz que dissipa as trevas de todo o mundo e convida a celebrar o esplendor glorioso desta luz... na noite ditosa em que o céu se une a terra em que o homem encontra Deus.

2- Proclamação da Pascoa que é um canto de jubilo anunciando a Ressurreição do Senhor.

3- Liturgia da Palavra que propõe uma serie de leituras sobre a historia da Salvação. Assim a Igreja começando por começando por Moises e seguido pelos profetas interpreta o mistério pascal de Cristo. Toda a escuta da Palavra é feita a luz do acontecimento-Cristo.

4- Renovação das promessas batismais ou liturgia do Batismo . Quando não há batismo faz-se a benção da fonte batismal e a renovação das promessas do batismo. Do programa ritual consta ainda a ladainha de todos os santos, a benção da agua, a aspersão da assembleia com a agua benta e a oração universal.

5- Liturgia Eucarística momento culminante da vigília pascal, pois se faz presente o Cristo ressuscitado, o ápice da iniciação Cristo o antegozo da Pascoa eterna. 

Esses cinco momentos da vigília Pascal tem como fio condutor o plano da salvação de Deus em favor dos homens, que se realize plenamente na Pascoa de Cristo por nos. Por consequência, a Ressurreição de Cristo é o fundamento e da esperança da Igreja.
O simbolismo fundamental da Vigília Pascal é o de ser uma " noite clara", ou melhor, a noite que brilha como noite e a escuridão que é clara como luz. Esta noite inaugura o hodie " hoje" da liturgia, como se tratasse de um único dia de festa sem ocaso ( o dia da celebração festiva da Igreja que se prolonga pela oitava pascal e pelos cinquenta dia do tempo pascal) no qual se diz " eis o dia que fez o Senhor, nele exultemos e alegremos."

Sugestao de atividades- Sexta-feira da Paixao

Postaremos algumas atividades que tem como tema a Sexta-feira da Paixão...


Pãozinho do céu









Amiguinhos de Deus




sexta-feira, 18 de abril de 2014

A liturgia da semana santa- Sexta- feira santa ou Paixao do Senhor

A Paixão do Senhor, profeticamente, celebrada na Missa na Ceia do Senhor, profeticamente celebrada na Missa na Ceia do Senhor, desdobra-se na celebração da Sexta-feira santa.

Este é o dia de silencio, jejum e oração e de profundo respeito diante da morte do Senhor.  Em relação a sexta-feira santa é preciso resgatar a celebração da Paixão do Senhor pela grande celebração da Palavra de Deus. Neste dia são muito apreciadas as vias-sacras e encenações, no entanto, o povo ainda não atinou com o sentido da celebração da Paixão e Morte de Jesus através da grande e modelar celebração da Palavra.
As 15 horas, horário em que Jesus foi morto e celebrada a principal celebração do dia- a Paixão do Senhor. Ela consta de três partes- liturgia da Palavra, adoração de Cristo na cruz e rito da comunhão.
Nesta celebração não adoramos a cruz como um objeto de madeira, mas adoramos o Cristo pregado na cruz. Depois deste momento não há mais comunhão, nem celebrações. O templo fica fechado ate que seja realizada a celebração da Pascoa, no sábado santo.


Oficio das trevas


O oficio das trevas é um antigo oficio litúrgico muito apreciado por toda a Igreja. Ele juntava lições e salmos em um belíssimo texto retirado de um breviário e rezado junto com a comunidade. Chama-se oficio das trevas porque ao longo do Oficio iam-se apagando as luzes da igreja que terminava em escuridão.
O oficio das trevas mostra de forma bastante clara, a figura do servo sofredor  e nos leva a meditar sofre os seus sofrimentos de sua Paixão e morte na cruz.


Sermão das sete palavras


Lembra-se das ultimas palavras de Jesus, no calvário, antes de sua morte:
" Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem..."
" Em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso..."
" Mulher eis ai o teu filho... Eis ai a tua mãe..."
" Tenho sede!"
" Meu Deus, meu Deus porque me abandonastes."
" Tudo esta consumado."
" Pai em tuas mãos entrego o meu Espirito."


Neste dia não se celebra a santa missa.


Acontece também o sermão da descida da cruz e em seguida acontece a procissão do enterro, levando uma esquife com a imagem do Senhor morto.

A instituiçao da Eucaristia- sugestao de atividades

Mais sugestões de atividade... agora desta vez sobre a Instituição da Eucaristia!


Caminhando com Jesus









quinta-feira, 17 de abril de 2014

A liturgia da semana santa- missa da ceia do Senhor


Com a Missa da Ceia do Senhor, celebrada na tarde ou noite quinta-feira, a Igreja da inicio ao Tríduo Pascal e comemora a ultima ceia.
A quinta-feira na Ceia do Senhor caracteriza-se pela " entrega" do Senhor Jesus. O Senhor é entregue por Judas, prenuncia sua entrega ao Pai e se entrega no sacrossanto Mistério da Eucaristia.
Jesus na noite em que foi traído, ofereceu a Deus Pai o seu Corpo e Sangue sob as espécies do Pão e do Vinho, e os entregou para os apóstolos para que o tomassem, mandando também oferecer ao seus sucessores.
Esta noite vem caracterizada pelo Novo Mandamento, o Mandamento do amor, a instituição do novo Mandamento através do rito do lava-pés. São quatro os mistérios celebrados nesta noite santa- a instituição do Novo mandamento, a eucaristia, o ministério sacerdotal e o dom da Igreja.
No centro encontra-se a caridade- " Onde o amor e a caridade, Deus esta", canta a Igreja na missa da Ceia do Senhor. A serviço do Amor é  a expressão maior do amor, temos a Eucaristia, realização sacramental da caridade. A serviço da vida eucarística e do amor, eis o mistério sacerdotal. Finalmente temos os sacramentos todos, dos quais vive toda a igreja, e o próprio mistério da Igreja. Nesta noite a Igreja celebra a vocação profética, sacerdotal e real de todos os cristãos.
Durante a celebração da santa missa acontece também a cerimonia do lava-pés, que lembra o gesto de Jesus ao lavar os pés dos discípulos. Este é um gesto de humildade e de santidade, um exemplo para os discípulos e para toda a Igreja " Eu vim para servir".
No final da missa é feita a Procissão do translado do Santíssimo Sacramento do altar-mor da igreja para uma capela, onde se tem o costume de fazer a adoração do Santíssimo durante alguns momentos. Após a missa o altar é desnudado, símbolo do Cristo aniquilado, despojado, flagelado e morto pelo pecado da humanidade.
O Senhor se entrega e quer permanecer como alimento na Eucaristia. Com a Eucaristia tem inicio a comemoração da entrega do Senhor. A Igreja acompanha solidaria, o Cristo que reza e sofre no Getsemani, que se confia ao Pai, é traído e entregue por cada um de nos.
É impossível separar a Eucaristia do amor fraterno. A entrega de Jesus na Eucaristia e a seu gesto de lavar os pés dos discípulos pede de cada a cristão a mesma atitude de se por a serviço do irmão, principalmente aquele mais necessitado.


" Se eu, Senhor e mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. Dei-vos o exemplo, para que façais a mesma coisa que eu fiz” (Jo 13, 13-15).



A liturgia da semana santa- missa do crisma

Na quinta-feira santa acontece, na maioria dos lugares pela manha, uma celebração maravilhosa chamada Missa da unidade crista ou missa do crisma. Neste dia cada Bispo reúne o seu clero e celebra a Missa da renovação do sacerdócio, pois neste dia Jesus instituiu o sacerdócio católico e a sagrada Eucaristia.




Esta celebração nos leva a meditar na unidade de nossa Igreja e na pessoa dos sacerdotes, que são membros fundamentais da Igreja. Na renovação das promessas sacerdotais os padres e diáconos são chamados a reinflamar o ardor da vocação para que sejam sempre firmes na sua missão.



Neste dia também é feita também a benção dos óleos . O motivo se deve ao fato de ser este o ultimo dia em que se celebra a missa antes da vigília pascal. Na Igreja primitiva o Batismo, a eucaristia e a crisma só aconteciam na Vigília Pascal. Mas por que óleo? O óleo tem a finalidade de fazer brilhar o rosto( Sl 103,15), é o símbolo da alegria (Sl 44,8). Penetrante, sua unção significa a consagração de um ser a Deus, em vista da realeza, do sacerdócio ou de uma missão profética.

São abençoados os seguintes óleos

Óleo do Crisma- Uma mistura de óleo e balsamo, significando a plenitude do Espirito Santo, revelando que o cristão deve irradiar " o bom perfume de Cristo" . Este óleo é usado no sacramento da Confirmação para viver como adulto na fé, é o único óleo que é perfumado. Também é utilizado em outros atos consacratorios, como na dedicação de uma Igreja, na consagração de um altar. A cor que representa este óleo é o branco ouro.

Óleo dos catecúmenos- Este óleo é usado no batismo. Este óleo significa a libertação do mal, a força de Deus que penetra nos catecúmenos, o liberta e o prepara para o nascimento pela agua e pelo Espirito Santo. Sua cor é o vermelho.

Óleo dos enfermos- Este óleo é usado no sacramento da unção dos enfermos. este óleo significa a força do Espirito Santo para a provação da doença, para o fortalecimento da pessoa para enfrentar a dor, inclusive a morte. Sua cor é roxa.

A missa se encerra com a distribuição da eucaristia e depois é distribuído os santos óleos para as paroquias da diocese. 

quarta-feira, 16 de abril de 2014

A liturgia da semana santa- Procissao do encontro

Na maioria das cidades do Brasil celebra-se na quarta-feira a procissão do encontro de nosso Senhor dos Passos com Nossa Senhora das Dores- essa procissão representa o encontro de Maria com seu filho Jesus na via crucis.





Nesta procissão meditamos e contemplamos a dor de Maria Santíssima quando encontra o seu Filho a caminho do Calvário carregando uma pesada cruz e sendo insultado como se fosse um criminoso. Ao encontrar Jesus o olhar dos dois se cruzam e Maria pode compreender a dor da alma de Jesus.
Em determinado lugar é feito o encontro entre as duas imagens e relatam-se  as cenas desse doloroso encontro meditando as dores de Maria e do sofrimento de Jesus. Eis o significado de viver esta procissão - celebrar as dores, tristezas e sofrimentos das pessoas, da comunidade e da sociedade entre acontecimentos que marcam a vida do povo e levando os cristãos a consciência de que com Cristo superamos todas as dores.