Follow by Email

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Envio dos catequistas



Envio dos catequistas 

  • Apresentação dos catequistas

Catequistas: “Nós, catequistas, estamos  perante esta assembleia congregada pelo Senhor, para  manifestar o nosso desejo de participar no ministério da catequese.O Senhor que nos chamou a formar parte do seu Povo, pelo Batismo, convida-nos a ser testemunhas, mestres e educadores da fé. Ao assumir este serviço, estamos conscientes de participarmos da grande missão que Jesus Cristo confiou à sua Igreja: “Ide por todo o mundo e anunciai a todos a mensagem da salvação”.

Presidente:  Caros catequistas, quereis viver o vosso ministério de catequistas na fidelidade a Deus e na atenção aos irmãos?

Catequistas: Sim, queremos.

Presidente: Estais dispostos a desempenhar a vossa missão, sendo testemunhas da Boa Nova de Jesus?

Catequistas:Todos: Sim, estamos.

Presidente: Quereis viver o vosso serviço de catequistas, em espírito de serviço à comunidade?

Catequistas: Sim, queremos.

Oração:

Deus, Pai de bondade, que confiaste à tua Igreja a missão de anunciar o Evangelho a toda a humanidade, em cada tempo e lugar, abençoa e aceita estes catequistas, a fim de que todos eles sejam fiéis anunciadores da Palavra da verdade, desempenhando o seu ministério e sentindo a alegria de Maria na sua disponibilidade interior.

(Imposição das mãos):

          ENVIA O TEU ESPÍRITO SOBRE ESTES TEUS FILHOS, INFUNDE O AMOR NOS SEUS CORAÇÕES; PÕE NOS SEUS LÁBIOS A TUA PALAVRA DE SALVAÇÃO; CONCEDE-LHES A ALEGRIA DE COLABORAREM NA CONSTRUÇÃO DO TEU REINO E NO CRESCIMENTO DA TUA IGREJA.  Por Nosso Senhor...

Envio dos catequistas- celebração da missa de envio

Ide, pois, fazer discípulos entre todas as nações. E ensinai-lhes a observar tudo o que vos tenho ordenado. Eis que estou com vocês todos os dias, até os fins dos tempos” ( Mateus 28, 19-20)


No dia 29 de janeiro de 2012 aconteceu em nossa comunidade de Santo Antônio a missa do envio que marca o início do ano catequetico de 2012.
A missa foi presidida pelo padre Jésus, padre sacramentino do Santuário de Adoração Perpétua de Caratinga que fez uma belissima homilia e impôs as mãos sobre cada catequista, no momento do envio,   pedindo que o Espírito Santo   santifique a vida e a missão dos catequistas; foi lindamente cantada por Erasmo Carlos "Grilo" e seu ministério de música que deu um show e foi muito feliz nas escolhas das músicas para o momento e contou com a presença de toda a comunidade que pode conhecer quem são os catequistas do Núcleo Santo Antônio. Foi uma celebração muito bonita e abençoada!




Deixamos aqui o nosso sincero agradecimento a quem nos permitiu viver esta noite que para nós catequistas foi tão especial e feliz: a Jesus, nosso mestre e Senhor, autor de todas as coisas, ao padre Jésus por ter presidido a santa missa, aos cantores de Deus, às ministras da Eucaristia, aos membros do CPC e a toda comunidade de Santo Antônio.

domingo, 29 de janeiro de 2012

As cores litúrgicas- sugestão de dinâmicas

Para os catequizandos do 2º turno ( a partir de 10 anos) utilizamos uma dinâmica para apresentar as cores que são utilizadas na liturgia.

Material necessário: placas de E.V.A ou papel cartão colorida e fitas de TNT com as cores litúrgicas.

Desenvolvimento:
  • Qual a cor que você mais gosta? (deixar que alguns catequizandos falem as suas preferências). Cada um tem uma cor preferida: para mim o azul pode ser lindo, mas para o outro a cor de sua preferência pode ser o amarelo. Isso depende da influência que a cor exerce sobre cada um.
  •  Dizemos que algumas cores despertam sentimentos e por isso sempre quando vemos aquela cor fazemos associação a este sentimento. (Mostrar as placas coloridas e ir pedindo aos catequizandos para falar o que aquela cor desperta neles)
Placa vermelha: amor, paixão, mas também pode significar raiva.
Placa verde:  esperança, vida, natureza
Placa preta: morte, luto
Placa rosa: cor associada a mulher, romance
Placa azul : cor associada ao homem, tranquilidade
Placa branca : paz
Placa amarela: alegria, luz, calor
Placa laranja: confiança, prosperidade

  • Assim como no nosso dia-a-dia as cores influenciam nossos sentimentos a Igreja também utiliza de cores na liturgia .Cada cor utilizada na liturgia possui um significado e as diferentes cores visam manifestar externamente o caráter dos mistérios celebrados .
  • (Entregar a cada catequizando uma faixa de TNT com uma cor da liturgia , dividir as equipes de acordo com as cores ). Para conhecer as cores você vai pedir que cada equipe fale o nome das cores que eles tem na mão. Falar que estas cores são as cores utilizadas na liturgia, de acordo com o tempo litúrgico que a Igreja está vivendo e estas mesmas cores são utilizadas em todas as igrejas em qualquer parte do mundo.
  • Perguntar aos catequizandos o que esta cor desperta nelas. (sempre partir dos sentimentos dos catequizandos para depois ir para a explicação ) . Cada uma destas cores representam um significado, uma simbologia e agora vocês vão demonstrar através de gestos ou mímicas o que esta cor litúrgica representa na liturgia. (entregar a cada equipe a explicação sobre a simbologia da cor liturgica que ele representa e estes terão que usar a criatividade e através de um gesto mostrar esta simbologia).
  • Após cada apresentação o catequista fala sobre em que tempos e em que festas são utilizadas a cor litúrgica que foi apresentada.
 

  • No rosa/róseo acrescentar a informação que esta cor significa alegria, dentro de um tempo destinado a penitência.

sábado, 28 de janeiro de 2012

Livro sem palavras- As cores liturgicas - Sugestão

O Livro sem palavras é um recurso muito utilizado na Evangelização das crianças.Ele nos permite passar a mensagem de forma simples, clara e objetiva. Originalmente ele foi usado para transmitir o Projeto de Salvação para as pessoas, mas ele também pode ser usado para transmitir outros conhecimentos. Na apresentação do Livro sem palavras comece sempre procurando descobrir o nome dos catequizandos e chamá-los pelo nome durante a apresentação.  Permita que a criança dialogue com você enquanto ensina passo a passo, cor a cor. Sempre compartilhe com oração e entusiasmo, lembrando que este é o Caminho da salvação para o seu catequizando.

Este é um recurso que é bastante utilizado na catequese Santo Antônio. Para apresentarmos as cores litúrgicas para as crianças utilizamos também este recurso.

Material necessário: confeccione um livro sem palavras com as cores litúrgicas.

Desenvolvimento:
Utilizamos este recurso com as crianças de 04 a 09 anos na catequese (1º turno) na oração inicial. Na primeira apresentação apresentamos somente as cores para que as crianças conhecessem cada uma. Em uma segunda apresentação já mostramos o verso do livro que possui figuras que ensinam quando as cores litúrgicas são usadas na liturgia.

Roteiro:

Prestem bastante atenção crianças porque agora vou apresentar para vocês um livro diferente. Este livro não tem palavras. Mas se ele não tem palavras como faremos para entender sua mensagem? (deixar as crianças falarem) . Mas tem alguém que pode nos ajudar a entender a mensagem que este livro tem para nós ... o Espírito Santo.
Cantar com as crianças a seguinte música:
Abra a minha inteligência, Espírito Santo amigão/ acalme meus pensamentos, ilumine minha razão/ aumente com a catequese, o amor em meu coração/ por Jesus pela mãe Igreja e é claro por meus irmãos.




1ª pagina: Crianças que cor é esta? (cinza). Imaginem vocês se o mundo fosse todo cinza. Se o céu não fosse azul, se as folhas das árvores não fosse verde e se o arco-íris não tivesse as lindas cores fosse cinza , como seria este mundo ele seria bonito ou feio? (deixar as crianças darem sua opinião)




2ª página: Mas Deus em sua infinita bondade pensou em fazer um mundo lindo cheio de cores para seus filhos. Ele sabia que as cores despertaria em seus filhos a alegria, o amor, a esperança.  Veja como esta página é colorida, cheia de cores . Temos verde, amarelo, roxo, vermelho, tudo junto e misturado. Assim é o mundo Deus o pintou cada coisa de uma cor e é por isso que ele é tão lindo deste jeito.


3ª página:   Deus também inspirou os homens a utilizarem as  cores na liturgia. Quando você vai a Igeja, na missa você já percebeu que no altar as toalhas está de um a cor e que a roupa do padre está com uma cor igual? E se você for a Catedral, no Santuário ou aqui em nossa Igreja a cor será a mesma? Essas são as cores litúrgicas. A Igreja escolheu algumas cores para serem utilizadas na liturgia e cada uma delas é utilizada em um momento do tempo litúrgico.
A primeira cor é a ? (cada página que for serem apresentadas você deverá pedir aos catequizandos que falem o nome da cor para que eles possam assimilar a cor). Muito bem , o roxo. Esta cor é utilizada na nossa Igreja simbolizando  a minha vontade de fugir do pecado e andar juntinho de Deus, ou seja, arrependimento, contrição.



4ª página: Temos mais uma página deste livro sem palavras . Esta página nos fala de um sentimento que todos gostamos de ter. Que sentimentos que vocês gostam de ter no coração? (deixar as crianças falarem). Na liturgia temos esta cor que se chama róseo e ela significa alegria, porque já ficamos com o nosso coração cheio de alegria , pois  estamos esperando por uma grande notícia! Vocês sabem que notícia é esta: que no natal Jesus vai... (nascer) e na Páscoa Jesus vai ... (ressuscitar).




5ª página: Agora só de olhar já fiquei com meu coração cheio de paz, porque esta página transmite paz, porque ela está com a cor? (branca). Esta cor também é utilizada na liturgia para simbolizar vitória, pois Jesus venceu a morte... aleluia. Simboliza paz, pois Jesus nasceu na gruta de Belém para nos dá a paz. Significa também pureza pois devemos ter  o nosso coração bem branquinho e buscar sermos bons e santos como Jesus é santo.



6ª página: Esta página é toda vermelha. O que nos lembra esta cor(deixar as crianças falarem- amor, coração, sangue, fogo). Ela também é usada na liturgia e nos lembra da maior prova de amor, quando Jesus morreu na cruz e deu seu sangue(vermelho)  para nos salvar. Mas além de ser a cor do sangue é também a cor do fogo do Espírito Santo.



7ª página: Mais uma página deste livro e esta página é que cor? (verde). Esta é a cor da natureza, da vida, da esperança. Ela é usada na liturgia para simboliza a nossa vontade de crescer como uma árvore cada dia no conhecimento e no amor de  Jesus.

Agora eu quero ver quem guardou as cores que usamos na liturgia: (roxo, róseo, vermelho, branco e verde)  . Muito bem, vocês são nota 1000!


Este livro foi apresentado em duas etapas: na primeira só falamos sobre as cores para que fixassem quais eram. Na segunda apresentação relembramos sobre as cores e mostramos o verso das páginas, com figuras que indicavam quando essas cores eram utilizadas e símbolos.









sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Cores litúrgicas

Quando participamos da celebração da Santa Missa, percebemos que os ornamentos  do altar, do tabernáculo, do ambão e até mesmo a estola do sacerdote combinam todos com uma mesma cor. Percebemos também que a cada tempo litúrgico essas cores vão sendo mudadas.
Cada cor utilizada na liturgia possui um significado e as diferentes cores visam manifestar externamente o caráter dos mistérios celebrados na liturgia e a consciência de que a cada celebração não somos os mesmos, mas progredimos rumo à mudança de atitude e conversão de vida. As cores litúrgicas foram fixadas em Roma no século XII. A diversidade das cores nos paramentos sagrados, ao longo do ano litúrgico, exprime o carácter próprio de cada um dos tempos e festas que celebramos


Verde: Simboliza a esperança. O verde também nos lembra a natureza, indica crescimento e vida, tempo de crescer com a Palavra de Deus no cotidiano de nossa vida. Usado nos domingos do Tempo Comum e nos dias da semana.

Vermelho: Simboliza o fogo do amor, da caridade ou do martírio. Lembrando o fogo do Espírito Santo, é a cor de Pentecostes. Lembrando o sangue, é a cor usada nas Festas dos Santos mártires, no domingo da Paixão (domingo de Ramos) e na sexta-feira santa.
 
Roxo: Simboliza a penitência, contrição, serenidade. Usado no Advento e na Quaresma. Pode também ser usado nas missas pelos mortos e na confissão.

Róseo/ Rosa: Simboliza a alegria dentro de um tempo destinado à penitência. Pode ser usado no 3º domingo do Advento (Gaudete) e no 4º domingo da Quaresma (Laetare).

Branco:  Simboliza a vitória, a paz, a alma pura, a alegria. Usado na Páscoa, no Natal, nas Festas do Senhor (exceto as da Paixão), de Nossa Senhora e dos Santos não-mártires. As cores dourada e prateada podem ser usadas nos dias festivos, em substituição ao branco.

Preto: É sinal de tristeza e luto. Hoje é pouco usado na liturgia.

Azul: Usa-se para as celebrações em honra da Virgem Maria, sendo, no entanto, um privilégio. O azul não é uma das cores litúrgicas previstas pela IGMR(INSTITUTIO GENERALIS MISSALIS ROMANI) , mas seu uso é largamente difundido no Brasil.



Ano litúrgico- sugestão

No início do ano conversamos com os catequizandos sobre o Ano litúrgico e mostramos como ele é organizado( calendário litúrgico). A apresentação do tema foi feito na roda da conversa da seguinte forma:

Material necessário: Calendário, relógio e o calendário litúrgico.


Roda da conversa: (Sentar com as crianças em círculo fazendo uma grande roda da conversa).
  • Mostrar para as crianças um relógio e perguntar para que serve o relógio: ( para marcar o tempo) . No relógio podemos olhar as horas e organizar o nosso tempo de forma   a darmos conta de tudo durante o dia.Quantas horas tem um dia? (24 horas). Então Deus nos deu 24 horas para podermos fazer várias coisas: estudar, brincar, dormir, passear e também não podemos esquecer de reservar tempo para o Senhor nestas 24 horas. Na Bíblia está escrito há tempo para tudo!
  • Os dias, as semanas, os meses e o ano são organizados onde? (mostrar um calendário). O calendário nos mostra os dias, os meses, o ano. Temos 365 dias para sermos felizes. Durante todo ano acontece também muitos fatos importantes na nossa vida, muitas coisas alegres e algumas tristes. Temos 01 ano, com 12 meses e cada mês com 28, 30 e 31 dias  para vivermos lembrando que Deus nos ama e que nascemos para sermos felizes, verdadeiros vencedores.
  • Mas eu quero apresentar para vocês um outro calendário que organiza também o tempo , o ano (mostrar o calendário litúrgico). Este é o calendário litúrgico e ele organiza o Ano liturgico. No decorrer de um ano a Igreja celebra todos os acontecimentos da vida de Cristo: desde quando Maria ficou sabendo que seria a mãe do Salvador , nascimento, vida pública, paixão, morte , ressurreição e a sua subida para o céu.
  • O calendário civil nos mostra que temos 365 dias e no calendário litúrgico quantos dias temos? Temos os mesmos 365 dias, mas a diferença é que o ano civil começa em Janeiro e o ano liturgico começa no finalzinho de novembro  ou início de dezembro com a festa do advento(preparação do natal).(Ir explorando o calendário, mostrando para os catequizandos a sequência dos tempos litúrgicos, quando começa e termina o ano litúrgico)
  • Mas que forma tem este calendário? (Circular , forma de círculo) Vamos traçar vários círculos no ar. A gente percebe que o círculo sempre continua, sempre repete o mesmo movimento. No ano liturgico a cada ano celebramos o mesmos fatos da vida de Cristo, mas sempre de maneira diferente, pois a cada ano vamos aprendendo mais de Jesus e vamos ficando mais parecidos com Ele.
  • Quem está no centro deste calendário? É Jesus Cristo, pois cada acontecimento da vida de Cristo traz uma graça própria e nos ajuda a sermos como Ele é: bom, humilde, alegre, a perdoarmos a quem nos ofende etc.


Este calendário acompanhou a Catequese durante todo o ano: a cada mudança de tempo ou em uma festa importante na Igreja mostrávamos no calendário, já mostrando o símbolo do tempo, a cor, que fato da vida de Cristo era ressaltado no tempo litúrgico e a atitude que a devíamos ter no tempo litúrgico.

O Ano Litúrgico tem o seu valor pedagógico e catequético. A nossa capacidade humana é limitada e não nos permite penetrar de uma só vez toda a riqueza da obra de Cristo; então, a sua repetição nos ajuda a penetrar no mistério de Deus feito homem.









quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Liturgia- sugestão de peça de fantoches


(Para falar sobre os temas ligados a liturgia criamos um personagem que conversavam com as crianças sobres os temas. Por sermos da Comunidade Santo Antônio associamos este personagem a nosso padroeiro.)


Catequista- Este ano na catequese vamos falar sobre a liturgia. Mas quero chamar alguém para me ajudar e ele tem o mesmo nome do padroeiro da nossa comunidade. Como chama o nosso padroeiro? (deixar as crianças responderem). Isto mesmo seu nome é Antônio, mas ele gosta que o chamemos de Toninho, vamos criançadas chamar o Toninho? (Incentivar as crianças a chamarem Toninho)
Toninho- Olá criançada, tudo bem. Meu nome é Toninho! Sabe por que eu tenho este nome, é porque eu amo um santo legal, que fez muitos milagres e que tem até a fama de ser um santo casamenteiro, o nome dele é Santo Antônio.
Catequista- Toninho eu já te apresentei as crianças, mas o que eu quero mesmo saber é uma coisa! Toninho, você sabe o que dizer liturgia?
Toninho- Deixa-me eu pensar um pouquinho... ah! Já sei. Mas vou precisar da sua ajuda também e das crianças. Quem vai me ajudar?
Catequista- Como vai ser isto... você me explica?(O boneco cochicha no ouvido da catequista)
(Neste momento o catequista escolhe algumas crianças e propõe a dinâmica do balão: a cada criança escolhida é dado um balão colorido. Ao sinal do catequista as crianças terão que jogar os balões para cima e não deixar cair. A medida que vai passando o tempo as crianças vão sendo retiradas e a que ficar não pode deixar os balões cairem.)
Tonico- Você sabe o que as crianças acabaram de fazer?
Catequista- Jogaram as bolas para o alto e não podiam deixar cair.
Tonico- Mas isto é uma ação, um movimento onde todas as crianças tiveram que fazer sua parte para que as bolas não caíssem. E na hora que as crianças foram sendo  tiradas o que aconteceu?
Catequista- Foi ficando mais difícil para a criança sustentar os balões no ar e os balões foram caindo.
Tonico- À medida que as crianças foram sendo tiradas as que iam ficando tinham que suar a camisa para manter a bola no ar, elas tiveram que movimentar o corpo fazer uma ação. Liturgia é a ação, a participação do povo de Deus para celebrar ao nosso querido Deus que deu seu filho Jesus para nos salvar.
Catequista- Ah! Por isso é que as bolas foram coloridas. Por que  quando nos reunimos para celebrar na santa missa todos celebram juntos. O padre, os leitores, cantores e ministros. Mas também todo povo de Deus. Por isso quando participamos da celebração da missa devemos participar cantando,ouvindo as leituras e  prestando atenção no que o padre tem para nos falar, juntamente com toda a comunidade.
Tonico- Criançada, vamos todos falar juntos bem alto para guardamos em nosso coração- liturgia é a ação do povo de Deus para celebrar o nosso Deus. ( as crianças repetem  estas palavras )
Catequista- Obrigada Tonico por você ter nos explicado o que é liturgia, mas agora é hora de nos despedirmos... E sempre quando precisarmos estaremos chamando você para nos ajudar.  Tchau!
Tonico: Beijos em todas as crianças da catequese e até mais quando eu voltarei para explicar mais sobre liturgia. Adeus!
Para que os catequizandos assimilassem o conceito de liturgia utilizamos de expressão gestual. A cada parte da frase era associada um gesto :
Liturgia: as crianças batem palmas
ação: as crianças fazem o gesto de correr no lugar
do povo de Deus: as crianças apontam uma para as outras indicando que elas são povo de Deus
para a celebração: as crianças levantam as mãos e balançam (palmas em libras)

Catequese Santo Antônio e liturgia


" É tarefa da Catequese introduzir no significado e participação ativa, interna e externa, consciente, plena, frutuosa dos mistérios(sacramentos), celebrações, sinais, símbolos, ritos, orações e outras formas litúrgicas. Além do mais, a liturgia, por sua própria natureza, possui uma dimensão catequética. A catequese deve ser realizada em sintonia com o ano litúrgico" ( Diretório Nacional de Catequese 53b)

Aproximar a catequese e liturgia sem dúvida nenhuma é um grande desafio para os catequistas. A catequese, sem a liturgia, esvazia-se da dimensão do mistério e a liturgia sem catequese é carente no sentido e no conteúdo da fé.
No ano de 2011 fizemos na catequese um trabalho com alguns temas litúrgicos como: gestos, tempos, cores , objetos litúrgicos e espaço celebrativo  além de promover encontros mais celebrativos. O nosso objetivo era aproximar os catequizandos da liturgia possibilitando a compreensão e gosto pela liturgia, sobretudo pela participação ativa e consciente nas celebrações eucarísticas.

Iremos postar ao longo deste mês sugestões de como tabalhamos aspectos litúrgicos com os catequizandos e algumas celebrações que foram realizadas na catequese.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Liturgia: ação do povo de Deus para a celebração




O ser humano gosta de celebrações: celebramos aniversários, casamentos, formaturas, vitórias conquistadas etc. Tudo isso acontece também, espontaneamente, no campo da fé, para comunicar com Deus que se revela ao homem.
Desde o Antigo Testamento, as Sagradas Escrituras no mostram, que o povo judeu celebrava ricamente a liturgia: Deus estabeleceu uma Aliança com seu povo e o povo respondia então a Deus com um culto de louvor e adoração, de maneira rica e criteriosa. Assim o povo vai ao Templo, que Jesus tanto valorizou, à sinagoga, e mesmo em família, para orar e ouvir sua Palavra, e celebrar o seu Deus, o qual escolheu Israel como sua esposa.
Hoje também o povo de Deus caminha em direção à igreja e se reúne para celebrar o Dia do Senhor, que se torna também o dia da comunidade celebrante da perene Aliança de amor e de fé estabelecida com o Pai em Jesus Cristo.
Podemos então dizer que a Liturgia, em todos os tempos, é o culto público que o povo presta a Deus. È um diálogo entre o povo e Deus. O povo celebra os mistérios de Deus. Deus se revela e entrega como dom ao povo, e este acolhendo o dom de Deus, responde a Deus com louvor, e canta suas maravilhas.
A Liturgia é o culto sagrado que os antigos levitas ofereciam a Deus e hoje é prestado pelo próprio Cristo, que se faz sacerdote e vítima da nova Aliança, estendido até os nossos dias pela celebração da Eucaristia, que unindo o nosso sacrifício ao de Cristo nos faz também “hóstias vivas”. A liturgia católica, instituída por Jesus, visa celebrar –tornar célebre- dar importância, exaltar, em comunidade, a Santíssima Trindade de modo especial os “santos mistérios”.
A liturgia é uma ação sagrada, com ritos, na Igreja e pela Igreja, pela qual se realiza e se prolonga a obra sacerdotal de Cristo, para a santificação dos homens e a glorificação de Deus. (Sacrosanctum Concilium, 7)
Portanto, a celebração não é somente a proclamação da Palavra e o Sacrifício, mas sim uma assembléia que se reúne para celebrar o mistério do amor da Trindade Santa. No dia do Senhor, os discípulos e discípulas de Jesus se reúnem para celebrar, fazer memória de tudo o que Ele fez e faz na comunidade. Podemos então dizer que a liturgia é também a ação do Povo de Deus para a celebração. Levando em conta que a Liturgia é uma ação surge então a pergunta: quem realiza a ação litúrgica, quem é o sujeito desta ação celebrativa? Ou ainda: quando os cristãos se reúnem, a quem e para quem celebram?
A celebração não é um encontro, mas sim um encontrar-se(...) Não basta estar presente, é preciso ser presença, ou é preciso estar presente em relação, porque é na dinâmica do encontrar-se que se encontra Deus. (Bogaz e Vieira, Sinais mistagógicos, 18)

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

O Ano litúrgico

"O tempo passa tão rápido que nem vemos o tempo passar"- No mundo atual o tempo tem sido um grande vilão. Estamos vivendo uma eterna correria, não temos tempo mais para nada e quando nos damos conta a vida passou. Olhando nesta perspectiva o tempo até parece nos aprisionar. Porém a perspectiva biblica sobre o tempo é outra: a encarnação de Cristo inaugurou um tempo novo de graça e salvação.



O Espírito do Senhor está sobre mim, pois Ele me ungiu para anunciar a Boa-Nova aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos pobres e, aos cegos, a recuperação da vida" (Lucas 4,18). Ao final da leitura solenemente afirmou: " Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura" (v.21)

O Ano Liturgico é um contínuo "hoje", pois a salvação é sempre atual e esta à nossa mão. O Espirito Santo atualiza, por seu poder transformador, o mistério de Cristo. Por isso durante o ano todo invocamos sua presença durante as celebrações. O Ano Liturgico celebrado pela Igreja do Senhor quer nos colocar eficazmente em contato com a salvação ofercida gratuitamente pelo Senhor. Ao celebrar os eventos protagonizados por Cristo( nascimento, transfiguração, cura... paixão, morte e ressurreição) a Igreja faz memória deles torna-nos seus contemporâneos. "Através deste ciclo anual a Igreja comemora todo o mistério de Cristo, da encarnação ao dia de Pentecostes e à espera da vinda do Senhor" (Normas universais do Ano Litúrgico n.17) .

O Ano Litúrgico comemora o próprio Cristo em movimento no tempo e no espaço, a continuar sua obra salvífica.




O Ano Liturgico é representado mais usualmente em forma de espiral ou circular, dando idéia de continuidade, progressão e abertura. A cada ano celebramos os mesmos fatos históricos da vida de Jesus Cristo, mas sempre de maneira diferente , pois convertidos não somos mais os mesmos, mas tornamo-nos mais próximos de Deus e somos levados a mudança de atitudes e a plena conversão.
O centro do ano litúrgico é a comemoração pascal em seu ritmo diário, semanal e anual:

Ritmo diário: acompanha o sol, símbolo de Cristo. O Povo de Deus faz memória de Jesus nas horas do dia- de manhã, o sol evoca o mistério da ressurreição; de tarde, o sol poente evoca a morte, na esperança da ressurreição; de noite, celebramos a espera vigilante, a volta do Senhor.

Ritmo semanal: marcardo pelo Domingo- dia do Senhor. A celebração eucarística dominical é nossa páscoa semanal. A páscoa de Cristo, sua morte e ressurreição será progressivamente assumida em nossa vida. Em cada celebração nossa resposta de fé será cada vez mais verdadeira, pois aprendemos a oferecer nossa vida, nossa doação e serviço aos irmãos como oferta de louvor até chegarmos a páscoa final quando veremos Deus face a face.

Ritmo anual: composto basicamente de três tempos, sendo dois tempos fortes: Páscoa e o Natal. O Ciclo Pascal compreende o Tríduo como ponto central, a Quaresma como preparação e o tempo Pascal como prolongamento. Por sua vez o o Ciclo do Natal conta com o advento como tempo de preparação, e prolonga-se até a festa do Batismo do Senhor. Além do tempo do Natal e da Páscoa há também o tempo Comum.

A Celebração destes acontecimentos reproduz em nós a vida e a imagem do filho de Deus para que cada vez mais possamos ser transformados no mistério que celebramos. Cada mistério da vida de Cristo implica diretamente em nossa vida e em nosso destino final de filhos de Deus.

domingo, 15 de janeiro de 2012

A Bruxa e o Palhaço- sugestão de encenação para catequese

Esta pequena encenação foi feita no mês da Bíblia para mostrar aos catequizandos a importância da Bíblia e o que ela pode fazer em nossas vidas quando abrimos o nosso coração para acolhê-la.


" Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para ensinar, para refutar, para corrigir, para educar na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito, preparado para toda boa obra." ( 2 Timóteo 3, 16-17)




(Entra a Bruxa com o livro de magia na mão e o catequista incentiva  as crianças falarem  boa tarde com ela )
Bruxa: Boa só se for para vocês,  o que  esta tarde tem de boa, nem está chovendo!
Bruxa: (Gargalhada)- Agora ninguém me segura... vou poder fazer agora o que eu quiser, as maldades que eu quiser. Vocês sabem por que crianças xexelentas?
Bruxa: Eu consegui este livro hipermegaultrapoderoso, e agora estou muito poderosa, vou poder transformar crianças que nem vocês boazinhas, que obedecem as mamães, que nunca falam palavrões em sapo... e essas catequistas então que ficam ensinado a ter boas ações, a perdoar a quem nos ofende, a amar até mesmo os nossos inimigos, pra estas a minha vingança saramalignica, vou transformá-las em baratas cascudas e depois vou esmagá-las com meu sapatos, assim( faz o gesto com os pés)
(A Bruxa fica folheando o livro, quando entra o palhaço com balões nas mãos)
Palhaço: Quem quer balão, quem quer comprar balões.
Boa tarde criançada , eu sou o Palhaço  Sorriso da Alegria de Jesus, podem me chamar de Palhaço Sorriso, estou vendendo balões.Quem quer comprar balões?
(A bruxa fica olhando de longe com a cara feia)
Palhaço: Os meus balões não são balões quaisquer, são balões especiais. Eu tenho o balão laranja da felicidade, rosa do perdão, o verde da esperança, o amarelo da amizade, o branco da paz e a cor que eu mais gosto o vermelho do amor de Deus. Viva Jesus!
Bruxa: Ai que nojo de você, só de te ouvir já fiquei com o meu estombro enjoado. Vou ser obrigada a fazer mais uma maldade. Vou ter que transformar este Palhaço bobão em um sapão, ou em uma lagartixa, ou quem sabe em uma perereca.
Palhaço: Olá Dona Bruxa porque este mau humor, até parece que andou chupando limão. Você não sabe que devemos ser felizes, fazer o bem para as pessoas.
Bruxa: Eu quero é fazer muitas maldades, ainda mais agora que eu tenho este livro de magia super poderoso... e vou começar por você seu Palhaço feioso! Asas de morcego, perna de barata transforme este  palhaço em uma ? (jogar papel picado no Palhaço)
Palhaço: Ai dona Bruxa, os seus feitiços comigo não funciona. Sabe por que? Por que eu tenho um livro muito mais poderoso que o seu. O meu livro foi escrito por muitos autores, mas todos eles inspirados pelo Espírito Santo, tem 73 livros em um único livro, sendo 46 no Antigo Testamento e 27 livros no Novo Testamento. Este livro ensina a fazer o bem, a fazer as pessoas felizes e assim também sermos felizes.
Bruxa: Deixa-me ver este livro. (A bruxa joga o livro fora e começa a folhear a Bíblia)
Palhaço: Sabe por que este livro é poderoso, porque ele ensina para nós a mais linda historia de amor, de um Deus que mesmo a gente pecando mandou para nós seu Filho único Jesus, que para nos salvar morreu na cruz. Mas Ele ressuscitou, está vivo e nos deixou o presente do Espírito Santo, que é que nos dá a alegria de ser de Jesus e fazer o bem.
Bruxa: (som no CD  de coração batendo) De repente estou diferente, estou sentindo um calor no meu coração, estou vendo tudo mais bonito e colorido. Uma vontade de fazer o bem para todos.
Palhaço: Ah! Dona bruxa você sabe o que é isto, é o milagre do amor de Deus. Quem acolhe a Palavra de Deus, coloca no seu coraçãozinho e deixa Jesus agir tem a vida transformada.
Bruxa: Mas que sensação boa, eu nunca senti antes uma coisa assim... eu achava que era feliz, mas agora que eu conheci a Palavra de Deus e principalmente encontrei Jesus eu me sinto hipermegaultrafeliz. Antigamente eu fazia uma maldade e na hora eu ficava feliz, mas logo depois me vinha uma enorme tristeza. Mas agora não, eu estou cheia da alegria e do amor de Deus, e isso é bom demais. Mas como eu faço para que esta alegria nunca passe?
Palhaço: Basta que você passe tempo com Jesus, converse com Ele e ouça o que Ele tem para te dizer, temos que desejar a amizade com Jesus, pois quando temos Jesus no coração nunca ficamos tristes. Para isto você tem que todos os dias meditar a sua Palavra, orar sempre e participar da missa todos os domingos. Jesus deseja de todo o coração ser seu amigo também!
Bruxa: A partir de hoje nada de feitiço, nada de fazer o mal, vou deixar de lado o que deixa as pessoas infelizes e vou somente espalhar o bem. Como estou feliz, tão feliz que vou até cantar. Mas para eu ficar mais feliz ainda, quero convidar todas vocês criançada linda de Jesus para cantar comigo.

(Chamar as crianças para cantar- Homenzinho torto)






Jesus é assim

Se eu o busco, sinto sua força
Se eu o conheço, sinto sua atração
Se eu o amo, sinto o seu encanto
Se eu o sigo, nunca vacilo
Se eu o escuto, encontro a verdade
Se lhe quero bem, me sinto feliz
Se o aceito, compreendo o que é amar
Se ando com Ele, ando em paz
Se trabalho com Ele, eu vivo anunciando-O
Se eu o trato mal, Ele me trata bem
Se vivo por Ele, nunca morrerei.
Então, vale a pena viver
"Por Cristo, com Cristo e em Cristo"
Porque nunca estarei mal
e jamais morrerei.




Jesus Cristo, conhecê-Lo, amá-Lo, segui-Lo e anunciá-Lo- esta é a nossa missão!

domingo, 8 de janeiro de 2012

Epifania do Senhor Jesus



"Eis que veio o Senhor dos senhores, em suas mãos o poder e a realeza." (Ml 3,1)


Epifania é a manifestação do Salvador de todos os povos as nações. Deus se manifesta na pessoa frágil do menino Jesus. A Epifania, pela presença da estrela, é a festa da luz. Luz que é salvação no Cristo presente-presença. Com o nascimento de Jesus, a cidade terrena encheu-se de salvação, como uma sala se ilumina ao acender da lâmpada. Salvação que não é destinada somente ao povo de Israel mas a toda a humanidade.
Os Magos estão repletos de simbolismos e o primeiro é o da universalidade da salvação. O segundo simbolismo é a missionariedade do Evangelho pregado. A universalidade da salvação veio para todos e, em vista disso, todo cristão deve ser um missionário. No início da Igreja, a idéia dominante era que Cristo viera para poucos, para os chamados “santos”. Ao contrário, Jesus veio para todos, prosélitos, judeus, pagãos, indistintamente. Por isso, São Paulo, na segunda leitura de hoje, nos ensina que “os pagãos são co-herdeiros e membros de um mesmo corpo, co-participantes das promessas em Cristo Jesus, mediante o Evangelho” (Ef 3,6).
Epifania, festa de luz, festa da salvação universal. Assim é preciso pôr-se em contínua caminhada na busca do verdadeiro encontro com Jesus. Precisamos descobrir a estrela que nos guie de forma segura ao longo do ano na busca do rosto sereno e radioso do Senhor.Sejamos estrelas que vão indicando o caminho ao próximo para que ele encontre o Messias Salvador. Há muitas maneiras de sermos estas estrelas, dando testemunho de Jesus Cristo. Isso na família, na Igreja e na sociedade. Que na festa da Epifania nos deixemos guiar pela estrela, iluminar por ela, e poderemos ser luz para os outros.


 

Aos catequistas- sejam perseverantes!




CATEQUISTA, deixe seu coração arder pelo caminho ao escutar a voz do Mestre que ensina e envia: “Vai anunciar que estou vivo” e o sepulcro está vazio porque a vida sempre vence. Reconheça a força do ressuscitado no partir e repartir o pão. Seu sim se torna fortaleza ao aceitar o envio: “Vai... ensina... o que Eu ensinei a vocês”. Acredite que sua convicção se torna uma potência, que o testemunho de seus atos reveste de vida as palavras de sua boca, que o projeto do Reino transforma a escuridão em claridade, a luta em vitória. Reconheça que as mãos estendidas se tornam partilha, os braços abertos são acolhida, a esperança teimosa torna possível o impossível, as relações se tornam diálogo para que “todos sejam um”. Tenha a certeza de que seus passos deixam marcas inapagáveis, sua voz faz ecoar a PALAVRA VIVA que não conhece fronteiras, sua vida se torna profecia que anuncia a verdade e denuncia a falsidade, seu agir se torna aliança e faz a comunidade que constrói o Reino da fraternidade. Amém!