Follow by Email

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Santos do mês de Junho


Junho é mês de festa junina e também de  santos queridos na devoção popular: Antônio, João , Pedro e Paulo.

 

Santo Antonio de Pádua nasceu em Lisboa no ano de 1195 e foi batizado com o nome de Fernando. Entrou para a Ordem dos Agostinianos em 1209 e aí permanece até encontrar um grupo de monges franciscanos que estavam indo pregar o evangelho aos sarracenos. O impacto desse encontro marcou sua vida. Ele integra-se a ordem franciscana e adota o nome de Antonio em homenagem à Santo Antão.Em uma viagem a Marrocos, Antonio sofre uma enfermidade que o faz retornar à Portugal. Passando pela Itália, desembarca na Sicília e indo até Assis se encontra pela primeira vez com São Francisco.Em 1222 é chamado a falar de "improviso" numa celebração de ordenação e mostra eloqüência e sabedoria extraordinárias. Revela-se então seu carisma de pregador itinerante que marcará a trajetória de sua vida. Lecionou nas escolas de Bolonha, de Tolosa e de Mompinher.
Santo Antonio morreu aos 36 anos, em 1231 no dia 13 de junho e em menos de um ano, o papa Gregório IX o declara santo. Em 1946, Pio XII dá-lhe o título de "Doutor Evangélico".Na devoção popular, Santo Antonio é considerado o "santo casamenteiro" e protetor dos pobres. Muito querido pelo povo, na missa do dia 13 de junho, os fiéis aguardam a distribuição do pão bento, que como reza a tradição, deverá ser colocado junto aos mantimentos para que haja fartura no lar.São João, o Batista, filho de Zacarias e Isabel, é considerado o precursor de Jesus Cristo. Personagem bíblico, foi João quem batizou Jesus às margens do Jordão. É considerado o "santo festeiro" e a comemoração faz-se no dia seu nascimento, dia 24 de junho. São João é particularmente festejado no Nordeste com muito forró, comidas e danças. É o santo protetor dos casados e enfermos.
 


João Batista, primo de Jesus Cristo, nasceu no dia 24 de junho, alguns anos antes de seu primo Jesus Cristo, e morreu em 29 de agosto do ano 31 d.C., na Palestina. Foi degolado por ordem de Herodes Antipas a pedido de sua enteada Salomé, pois a pregação do filho de Santa Isabel e São Zacarias incomodava a moral da época. Antes mesmo de Jesus, João Batista já pregava publicamente às margens do Rio Jordão. Ele instituiu, pela prática de purificação através da imersão na água, o batismo, tendo inclusive batizado o próprio Cristo nas águas desse rio. São João é muito querido por todos, sem distinção de sexo nem de idade. Moças, velhas e crianças, festejam o seu dia com fogos de artifício e balões coloridos, além dos banhos coletivos de madrugada. Acende-se uma fogueira à porta de cada casa para lembrar a fogueira que Santa Isabel acendeu para avisar Nossa Senhora do nascimento do seu filho.

São Pedro foi discípulo de Jesus e é considerado o primeiro papa pela Igreja Católica. Seu nome original era Simão, tinha a profissão de pescador e por isso é considerado o protetor daqueles que trabalham no mar. Em vários locais se realiza uma procissão marítima para o santo, em Ubatuba, Rio São Francisco, Ceará, especialmente no Nordeste. Em Niterói, o principal mercado de comercialização de peixe leva o nome de São Pedro. A comemoração é no dia 29 e na devoção popular costuma-se dizer que São Pedro guarda a entrada do céu. O apóstolo exerceu seu ministério e foi martirizado em Roma, provavelmente no ano de 64 d.C. na época de Nero. A tradição popular também diz que São Pedro é santo de "trazer" chuva.


São Paulo está ao lado de São Pedro nesse fim de festa. São Paulo é chamado o Apóstolo dos Gentios. Realmente é admirável sua atividade na propagação da fé. De perseguidor de Jesus Cristo fez-se um Apóstolo da Igreja, um missionário, o modelo dos missionários de todos os tempos. As Epístolas de São Paulo dão-nos uma imagem nítida das suas lutas, dificuldades, provações e tribulações de toda a sorte. Mas em tudo venceu o amor a Jesus, a Jesus crucificado. São Paulo é um gigante no amor ao Salvador. "Jesus é minha vida", confessa ele, e para Jesus não havia trabalho que não fizesse, dificuldade que não vencesse. No fim da vida, pôde, em verdade, dizer: "Combati o bom combate, terminei a carreira e conservei a fé". Para que possamos afirmar a mesma coisa, é preciso que imitemos o grande Apóstolo no imenso amor a Jesus e à Santa Igreja. É preciso que com ele, sacrifiquemos a nossa carne., demos desprezo ao mundo, tenhamos amor aos nossos irmãos, sejamos castos e puros, e da nossa vida façamos um hino de louvor a Deus. Destarte, seremos herdeiros da coroa, que nos dará o justo juiz no dia da recompensa.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário