Follow by Email

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Tempos litúrgicos

Os tempos litúrgicos são as divisões existentes no Ano Litúrgico da Igreja Católica. Estes tempos existem em toda a Igreja Católica, apenas há algumas diferenças entre os vários ritos. Os tempos constantes abaixo são referentes ao rito romano.Toda a liturgia (ação do povo) da Igreja está organizada e dividida em três anos, o Ano A, o Ano B e o Ano C. E cada Ano está dividido em tempos litúrgicos, sendo eles: Advento; Natal; Tempo Comum; Quaresma; Semana Santa; e Páscoa.Cada tempo carrega consigo particularidades próprias.

No decorrer de cada ano, para santificá-lo a cada dia, a Igreja desenrola aos nossos olhos, as diversas etapas da obra salvífica de Cristo. É realmente "o ano da graça do Senhor" (cf. Lucas 4,19).

Ciclo do Natal


Advento- O ano litúrgico começa com o Tempo do Advento. Advento significa chegada. Antes do natal preparamos para a chegada de Jesus Cristo. É um tempo que se valoriza muito a figura de Maria, que se preparou nove meses para o nascimento de Jesus Cristo.Destaca-se também a figura de João Batista. Nesta época celebramos a festa da Imaculada Conceição, em 08 de dezembro. Repete-se muito a expressão "Marana-tha", que significa : "Vem Senhor Jesus." Tem a duração de 04 semanas: nas duas primeiras a liturgia convida a vigiare e esperar a vinda gloriosa do Salvador. Nas duas últimas lembramos a espera dos profetas e de Maria, prepara para celebrar o mistério da encarnação do Filho de Deus. Nestas semanas usa-se a cor roxa, somente na 3º domingo do Advento (Gaudete). O advento inicia-se 4 domingos antes do Natal e tem seu término no dia 24 de dezembro à tarde, tem como espiritualidade a esperança e purificação da vida e como ensinamento o anúncio da vinda do Messias e a transformação que Ele traz. O glória não é cantado.
Símbolo do Advento- Coroa do advento, onde colocamos três velas, que são acesas em cada domingo indicando que a cada domingo está mais próximo o Natal, por isso os caminhos vão se iluminando.


Natal- O tempo do Natal inicia-se no dia 24 de dezembro e vai até a Festa do Batismo do Senhor. Quando o cristianismo entrou em contato com a cultura e religião romana, encontrou uma festa religiosa para o "sol" que era celebrada no dia 25 de dezembro. A tradição cristã substituiu essa antiga crença colocando na mesma data o nascimento de Jesus Cristo, pois Ele é o único e verdadeiro Sol vencedor. O verbo eterno se encarnou e habitou entre os homens fazendo-se irmão de todos e fazendo-nos filhos de um único Pai. A espiritualidade deste tempo é a fé, alegria e acolhimento. Traz como ensinamento o Filho de Deus se fez homem como nós. A cor usada é o branco, mas se admite também o dourado. No ciclo do Natal também são celebradas as festas da Sagrada Família, Santa Maria Mãe de Deus, Epifania( manifestação de Jesus como Filho de Deus) e o Batismo do Senhor.

Símbolos do Natal: Presépio- cena do nascimento de Jesus. Quem tomou a iniciativa de montar o primeiro presépio foi são Francisco de Assis, em 1224, preparado em uma gruta, na Itália, a cena do nascimento de Jesus.
Estrela- a estrela serviu de guia para os três reis magos irem até Belém. A estrela também é simbolo de Cristo, luz do mundo.
Árvore de natal- Na fé cristã a árvore de Natal é sinal de vida que Jesus trouxe com seu nascimento e as bolas nelas penduradas significam os bons frutos oferecidos por Jesus à humanidade.
Tempo comum- O tempo comum é um periodo do tempo litúrgico de 33 ou 34 semanas nas quais são celebrados os mistérios da vida de Cristo. O tempo comum não significa um tempo menos importante, no calendário litúrgico, do que os outros tempos ou ciclos. Mas é um tempo de repouso e melhor compreensão, entre uma festa e outra do tempo comum. Chamamos este tempo de "comum" porque significa tempo cotidiano , tempo do dia-a-dia. Celebramos, então, a presença de Deus em nossos dias, que são marcados por momentos fortes, mas também vividos na rotina de cada dia. Deus está sempre conosco. Neste tempo a Igreja continua a obra de Cristonas lutas e nos trabalhos do Reino. É o Pão de cada dia da vida de Jesus. O tempo comum tem início na segunda-feira após o batismo de Jesus e é interrompido na terça-feira antes da quarta-feira de cinzas, recomeça na segunda-feira após Pentecostes e vai até o sábado antes do primeiro domingo do Advento.Tem como espiritualidade a esperança e escuta da Palavra e a vivência do Reino de Deus no cotidiano e traz como ensinamento os cristãos são o sinal do Reino. A cor usada é o verde lembrando-nos a natureza, indicando o crescimento e vida tempo de crescer com a Palavra no cotidiano da vida. No tempo comum também são celebradas as festas da Santíssima Trindade(, Corpo e Sangue de Cristo, Jesus Cristo Rei do Universo e Sagrado Coração de Jesus.


Ciclo da Páscoa

Quaresma- Quaresma é a preparação para a Páscoa anual, tempo forte de conversão, penitência, jejum, esmola e oração. O povo de Deus é convocado para que se deixe renovar em santidade pelo Senhor. Viver a quaresma é reconhecer a presença de Deus em nossa caminhada. São quarenta dias com dupla característica: caráter batismal- onde se prepara para o batismo-eucaristia-crisma na Vigília Pascal, como era feito na Igreja primitiva. Trata-se de tornar-se mais discipulo, mais seguidor de Jesus, pois, através do B; caráter penitencial- não só conversão "interna e individual, mas externa e social". A quaresma é um tempo de nos deixar conduzir pelo deserto da vida , esvarziar-se das coisas que não nos ajudam ao longo do caminho. Ir para o "deserto" da vida significa abandonar os velhos vícios, condutas e posturas que os impedem de ver Deus e amar os irmãos. É rever nossas atitudes e reconhecer nosso lado negativo para superá-lo e vencê-lo. A quaresma propõe algumas práticas que mostram o caráter da conversão: oração, jejum e esmola. No Brasil durante a quaresma se vive o período da Camapnha da Fraternidade. A quaresma tem início na quarta-feira de cinzas e término na tarde da quinta-feira santa. A espiritualidade da quaresma é a penitência e conversão e traz como ensinamento a misericórdia de Deus e a conversão. A cor usada é o roxo e o rosa(roseo) no 4º domingo da Quaresma (Laetare). Na quaresma não se canta o glória e o aleluia , nem se colocam flores na Igreja. Não deve ser usado muitos instrumentos musicais.

Páscoa- O tempo da Páscoa é um tempo cheio de alegria e exultação, como se fosse um único dia de festa.
Semana santa e a páscoa- Marca os últimos dias vividos por Cristo antes de sua paixão, morte e ressurreição. As celebrações se iniciam no domingo de Ramos, que é o Domingo da Paixão do Senhor, em que se celebra a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém e também a sua paixão e morte de Jesus na cruz. A semana santa se encerra com a celebração do trídua pascal.



Tríduo pascal- Inicia na tarde da Quinta-feira santa, com a celebração da ceia do Senhor . É composto também pela sexta-feira santa e pelo sábado santo, encerrando-se no domingo de Páscoa. São dias em que celebramos solenemente a paixão, morte e ressurreição de Cristo . São os dias centrais do ano litúrgico da Igreja, a festa central de todo o cristianismo. Na missa da Ceia do Senhor, na quinta-feira santa, se celebra a Instituição da Eucaristia  e o sacerdócio unidos ao lava-pés. Na sexta-feira santa celebra-se a paixão e morte do Senhor. É o único dia do ano que não há missa, sendo feita apenas uma celebrãção da Palavra com a oração universal e a comunhão. No sábado santo ocorre a Vigilia Pascal, a grande festa dos cristãos, a festa da vitória da vida sobre a morte. A celebração da vitória de Cristo sobre a morte continua no domingo da ressurreição.

Páscoa- É o periodo de cinquenta dias que vai do domingo da Páscoa até o domingo de Pentecostes. O domingo da Páscoa por sua importância prolonga-se durante uma semana, chamada oitava da Páscoa. No sétimo domingo da Páscoa celebra-se a Festa da Ascensão do Senhor, quando Jesus volta para o céu, para junto do Pai. Os cinquenta dias do tempo pascal são celebrados com muita alegria, manifestando a unidade no mistério da fé: morte, ressurreição de Cristo e envio do Espírito Santo. O tempo da Páscoa tem como espiritualidade a alegria em Cristo ressuscitado e traz como ensinamento morrer para o pecado e ressuscitar para uma vida nova. A cor usada é o branco. 

Por que a data da Páscoa muda a todo ano?
Os cristãos deram um sentido diferente para a data da Páscoa. O dia da Páscoa cristã foi fixada durante o Concílio de Nicéia, em 325 d.C, como sendo " o primeiro domingo de lua cheia do hemisfério norte". Todo ano esta data muda, pois não depende do dia, como o Natal, mas da lua. Por que a lua cheia? Porque é quando a lua está mais iluminada, indicando que Cristo é a luz nas noites escuras de nossa vida. Ele é a luz para as trevas da morte. Por que a primavera? Porque indica que a o inverno passou e a vida brota com toda a sua força. Talvez seja mais difícil para nós que moramos no hemisfério sul, perceber a beleza deste simbolismo, porque entre nós a Páscoa ocorre no outono.

Pentecostes- É a festa dos cinquenta dias depois da Páscoa. Os povos primitivos trabalhavam na agricultura e festejavam a data nas primeiras colheitas. Os judeus celebravam o Pentecostes como a festa da entrega da Lei de Moisés e por isso havia muita gente em Jerusalém naquele dia. A vinda do Espírito Santo sobre os discipulos manifesta a riqueza da vida nova do ressuscitado no coração e na atividade deles; no dia da festa o vento e o fogo, isto é o hálito de vida, sopro vital e o calor do amor de Deus, encheu a casa e o coração dos discípulos. Revestidos da força do Espírito Santo eles anunciaram as maravilhas de Deus e a morte e ressurreição de Cristo. Pentecostes marca o início e expansão da Igreja, os apóstolos passaram a anunciar Jesus e a batizar as pessoas que aderiam a fé, tornando-se discípulos de Cristo, seguidores do Evangelho, seguidores do Caminho! A cor usada em Pentecostes é a vermelha, que também é usada no Domingo de Ramos, sexta-feira santa, na festa dos apóstolos e mártires e na exaltação da Santa cruz. Em pentecostes é realizada a promessa: "Recebereis o Espírito Santo e sereis minhas testemunhas a té os confins da terra. (cf. Atos 1,8)

Por que a Igreja celebra cada fato deste, se na santa missa estão contidos todos os mistérios da salvação?
A resposta é que os acontecimentos anteriores da vida terrestre de Cristo tem cada um seu valor próprio da salvação. Jesus quis passar por todas as etapas da vida normal de um homem para santificar cada uma delas: infância, adolescência, idade adulta. Por isso o ano litúrgico se repetem continuamente. As ações de Cristo são teândricas(humanas e divinas) não se perdem e não se enfraquecem no tempo. O ano litúrgico também tem o seu valor pedagógico e catequético. A nossa capacidade humana é limitada e não nos permite penetrar de uma só vez toda a riqueza da obra de Cristo; então a sua repetição nos ajuda a penetrar o mistério de Deus feito homem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário